Pesquisa
segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Presidente do Sintasa participa de reunião em Brasília


O presidente do Sintasa, Augusto Couto, participou do II Encontro Nacional das Mesas de Negociação Permanente do SUS, entre os dias 19 e 21 de novembro, em Brasília. O evento, segundo o presidente, serviu como um espaço de reflexão, de troca de informações, de formulação de diretrizes e, sobretudo, de pactuação de compromissos em torno de algumas  premissas. 

“Foi apresentado um balanço da atuação da MNNP-SUS e da Mesa Setorial do MS e perspectivas para o próximo período, conhecemos as pautas, prioridades, avanços e dificuldades das Mesas Estaduais, Municipais, Regionais e Locais/MS de Negociação que compõem o SINNP-SUS e SINP Federal, definimos diretrizes nacionais de negociação, alinhamento e articulação das pautas; e pactuamos compromissos para avançar na estruturação da Rede de Negociadores do SUS”, explicou Augusto Couto.

Compartilhe:
Com.: 0
segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Sindicatos querem mais transparência nos órgãos públicos

Representantes do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) e de mais 17 sindicatos, com o apoio da Central Única dos Trabalhadores e CTB, entregaram uma proposta de Emenda à Constituição do Estado de Sergipe aos deputados estaduais presentes à sessão plenária da Assembleia Legislativa, na última quinta-feira (20).

A ideia é da proposta é estabelecer um limitador de Cargos de Comissão (CC’s) e conferir uma maior transparência em relação às contas públicas, além de controle social para combater o nepotismo e práticas afins.

“O que queremos é mais transparência nos órgãos públicos. A população precisar saber como está sendo gerido o dinheiro dos impostos que pagamos. Queremos ter acesso à folha de pagamento dos órgãos do Legislativo e Executivo e os deputados precisam levantar esta causa”, enfatizou a diretora do Sintasa, Maria Auxiliadora, que antes participou com todos os sindicatos de uma entrevista coletiva na sede da CUT/SE.

A Comissão de sindicatos retornará à Casa Legislativa para dialogar com a deputada estadual Maria Mendonça, presidente da Comissão de Administração e Serviços Públicos, que não estava presente na sessão plenária. 

Participaram do ato, além do Sintasa, o Sindijus, Sindasse, Sinditextil, Sindtic/SE, Sindiprev/SE, Sintradispen/SE, Asta, Sinpsi, Sintese, Sindijor/SE, Sindifisco, Sinter/SEe, Stase, Sindicontas, Sinodonto/SE, Sintrase e Fesempre.

Compartilhe:
Com.: 0
segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Sintasa consegue negociação para os trabalhadores de Porto da Folha

Após a negociação entre a direção do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) e o prefeito de Porto da Folha, Albino Tavares, ficou acertado que a gestão municipal irá pagar o salário de outubro de forma integral, conforme a Lei federal, aos agentes comunitários e agentes de combates às endemias, que estabelece o salário de R$ 1.014,00. Assim como o pagamento do salário atrasado dos auxiliares e técnicos de enfermagem. 

Na reunião, realizada na semana passada, ficou agendada ainda outro encontro com o prefeito para o dia 18 de dezembro, às 10 horas, no próprio município, para receber a proposta da prefeitura em relação as parcelas retroativas de julho a setembro do pagamento aos agentes. Participaram da reunião os diretores do Sintasa, João Wadson e Marcos Antônio e contou com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Porto da Folha (Simpof).

Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Servidores da Saúde de Itabaianinha reivindicam renegociação do PCCV


A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) visitou a cidade de Itabaianinha a pedido dos servidores municipais e recebeu uma série de reivindicações dos mais de 100 auxiliares e técnicos de enfermagem, como a renegociação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV), e reajuste salarial.

Atualmente, o PCCV destes servidores não contempla gratificações como titulação e complemento do Programa de Saúde da Família (PSF). Hoje, eles ganham na média de R$ 800, mais 20% de insalubridade e um adicional do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade na Atenção Básica (PMAQ), no Ministério da Saúde. A luta é para receberem salário de base de R$ 1.300,00 para os técnicos de enfermagem e R$ 1.100 para os auxiliares de enfermagem.

O Sintasa solicitou aos trabalhadores conseguirem a Lei Orgânica e o Estatuto do servidor municipal, assim como o PCCV completo para que o departamento jurídico do sindicato faça as devidas análises e, a partir daí, a diretoria marcar uma reunião com os gestores públicos de Itabaianinha.


Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Sintasa consegue restituição dos descontos salariais da PMA


Após negociação com o Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), ficou acertado que a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) restituirá os descontos nos contracheques de outubro de 2014, concernente as faltas dos servidores municipais provenientes das participações nas assembleias e a greve da categoria. A decisão foi tomada na reunião da última quarta-feira, no Centro Administrativo Prefeito Aloísio de Campos, na capital sergipana.

Os valores serão pagos na folha de pagamento de novembro que está prevista para sair no próximo dia 28. Em contrapartida, os servidores irão compensar as faltas num prazo de seis meses, a partir de fevereiro de 2015, podendo escolher a forma da compensação se diminuindo uma hora do horário do almoço, durante as campanhas de vacinação, ou no horário liberado para as tardes de estudo.

“Nós resolvemos aceitar a proposta da prefeitura porque caso não aceitassem os trabalhadores poderiam ser prejudicados não apenas no salário que já foi descontado como também nas férias e licença-prêmio”, explicou o diretor do Sintasa, João Wadson, que participou da reunião com o secretário da Saúde, Luciano Paz, ao lado dos representantes do sindicato Marcos Antônio, Maria Auxiliadora e Maria Edite.



Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Sindicatos tentam impedir funcionamento das OSS no interior


A bancada de sindicatos da Saúde de Sergipe irá fazer um parecer e encaminhar ao Ministério Público Estadual (MPE) contra a possibilidade da implantação das Organizações Sociais de Saúde (OSS) no interior do estado, uma vez que muitas prefeituras estão querendo entregar a administração da Atenção Básica e Rede de Urgência às estas organizações. “Somos totalmente contra. Quem tem que assumir a Saúde é o governo estadual e o município. Não podemos entregar a Saúde dessa forma. Se já temos tantas irregularidades nas fundações, que são de direito público, quanto mais as OSS, que são privadas”, ressaltou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde de Sergipe (Sintasa), Augusto Couto, durante a reunião da bancada na sede do sindicato. 

A presidente do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (Seese), Shirley Morales, bate na mesma tecla. “As OSS no município de Aracaju foram suspensas por uma Ação Civil Pública. Então, vamos utilizar os mesmos princípios para estar revendo estas OSS no interior, que vemos como algo bastante pernicioso porque acaba sendo um contrato precário, entre outras situações, que causariam prejuízo à assistência da população e para os direitos dos trabalhadores”, declara Shirley.

Durante a reunião da bancada também foi discutida a possibilidade de outras iniciativas conjuntas, como de uma ação conjunta contra da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) que não cumpriu um ponto do Plano de Emprego e Remuneração (PER) que reza sobre a incorporação do salário variável para o salário fixo gradualmente, que era para ser finalizada em setembro deste ano.

Calendário fixo

A terceira questão discutida foi a construção de um cronograma fixo de reuniões da bancada sindical, que é uma forma de se manter uma conversa permanente entre os sindicatos. Para isso, será emitido um ofício dos sindicatos participantes da bancada ao secretário de Saúde de Aracaju, Luciano Paz, para o cronograma com datas fixas para debaterem as pautas. “Afinal de contas, foi isto que o secretário alegou. Disse que não teria um avanço financeiro este ano porque o município tem uma proposta para o próximo ano de uma data fixa para o atendimento das pautas”, disse Morales.

Por sua vez, a presidente do Sindicato dos Assistentes Sociais de Sergipe (Sindasse), Rosely Anacleto, destacou que as reuniões da bancada de sindicatos servem para fortalecer um laço que já existia. “Estamos vislumbrando a possibilidade de criar um calendário fixo de reuniões para que a gente não tenha que se reaproximar por forças das circunstâncias. Temos pautas específicas, mas a maioria são comuns. Então agregamos forças ao invés de diminuir”, disse a assistente social.

Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Conselheiro do TCE discute sobre irregularidades da FHS com sindicatos


O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE), Clóvis Barbosa, se reuniu com uma comissão de representantes de sindicatos da Saúde, na manhã desta segunda-feira (17), e recebeu o pedido dos sindicalistas para analisar sobre o possível corte do salário variável que a Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) iria fazer, em novembro, nos servidores da fundação cedidos à diretoria dos sindicatos.

A questão é que o Tribunal de Contas tomou algumas providências em relação à FHS, principalmente, no que diz respeito à folha de pagamento. E dentre outras irregularidades que foram encontradas estavam às relativas à gratificação variável que eram pagas a servidores que estavam cedidos. Contudo, os líderes sindicais mostraram ao conselheiro que o possível corte da FHS seria injusto uma vez que seria um corte do salário variável e não de uma gratificação variável, conforme o Plano de Emprego e Remuneração (PER).

“A comissão irá entrar com uma petição e nós vamos analisar e tomaremos as providências que o caso requer e, se for o caso, retirar das irregularidades o pagamento do salário variável”, explicou o presidente Clóvis Barbosa.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), Augusto Couto, achou a reunião positiva porque o TCE também agora conhece o lado dos trabalhadores. “É uma preocupação dos dirigentes sindicais porque a corda sempre arrebenta pelo lado mais fraco. E não seria justo que fôssemos penalizados. Foi isso que expomos para o conselheiro, que tenho certeza que irá ver também a nossa situação”, disse Augusto Couto.

Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Servidores de Porto da Folha estão há mais de 60 dias sem salários


Os servidores municipais da Prefeitura de Porto da Folha farão um manifesto de greve com café da manhã, no dia 20 de novembro, na sede do município, por conta do atraso no pagamento salarial por parte da prefeitura. Os trabalhadores de cargos administrativos estão há mais de 60 dias sem receber e os auxiliares e técnicos de enfermagem, assim como os agentes comunitários e agentes de combates à endemias estão há mais de 40 dias, sendo que esta última classe não está recebendo o piso nacional, conforme Lei Federal e verba destinada ao município especifica para este fim.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), Augusto Couto, a ideia do ato, que será em conjunto com o Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal de Porto da Folha (Simpof), é pressionar a prefeitura a fazer o pagamento aos servidores, que estão em greve desde o dia 10. “O Sintasa veio para se somar. Não podemos aceitar esta situação. Já nos reunimos com os trabalhadores, na última quarta-feira, e confirmamos nosso compromisso em estar presente nesta manifestação”, disse Augusto Couto.

Depois de ventilada a notícia do ato dos sindicatos e servidores, o prefeito de Porto da Folha, Albino Tavares, agendou uma reunião com a diretoria dos sindicatos para o dia 19 de novembro, à tarde, na sede do município.

Compartilhe:
Com.: 0
terça-feira, 11 de novembro de 2014

Motoristas de carro fumacê têm Estar melhorado, após luta do Sintasa


Os motoristas de Ultra Baixo Volume (UBV), conhecidos como carro fumacê, conseguiram, através da negociação da diretoria do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) com a Fundação Estadual de Saúde de Sergipe (Funesa), melhorar a qualidade do ambiente de Estar e também o adiantamento das diárias de imediato. Estes e outros pontos foram apresentados nesta terça-feira para os funcionários na Central de UBV.

O Estar dos motoristas agora conta com um ambiente com ventiladores, geladeira, fogão, cadeiras suficientes, água mineral e cafezinho. Outro avanço foi a criação do Banco de Horas de dois meses que contemplará todos os trabalhadores e contará o período de deslocamento, período de aplicação, e por esta razão, será deduzido do período que não há necessidade de toda equipe ficar à disposição. Com isso, será feita uma escala de trabalho.

Em relação à insalubridade reivindicada pelos motoristas, a Funesa fará um novo laudo técnico para demonstrar ou não que os trabalhadores têm direito, visto que a instituição alegou que possui dois laudos que apontam que o serviço não é perigoso. Mesmo assim, baseado em depoimentos dos motoristas, o Sintasa pediu um novo estudo minucioso, até porque no edital do concurso apontava para o pagamento de insalubridade.

Sobre a acomodação dos veículos, ficou acertado que no interior a Funesa providenciará local especifico para guardar o equipamento durante o pernoite. Na capital, o motorista poderá guardar na própria residência para diminuir o tempo de deslocamento de saída e chegada.

“Nós não conseguimos o reajuste salarial, até porque o Governo do Estado não está num bom momento financeiro, mas os avanços possíveis conseguimos, como a redução da carga horária, com a criação do banco de horas, e estamos otimistas em relação a insalubridade depois desse novo laudo porque o que temos percebido é que eles manuseiam veneno e, por isso, precisam receber insalubridade”, declara Augusto Couto, presidente do Sintasa, que se reuniu com a direção da Funesa na segunda-feira.

HOJE
ANTES


Compartilhe:
Com.: 0
terça-feira, 11 de novembro de 2014

II Bingo do Sintasa acontecerá em dezembro


O Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) irá realizar o II Bingo do Sintasa no dia 6 de dezembro, a partir das 10 horas, no Gonzagão. A ideia é fazer a confraternização de fim de ano de todos os filiados que contarão ainda com 10 prêmios e show musical.

Os interessados poderão se dirigir até a sede do sindicato, munido do contracheque, para receber sua cartela para participar do Bingo. Os prêmios são: microondas, rádio, ventilador, liquidificador, ferro elétrico, secador, prancha de cabelo, cafeteira, sanduicheira e espremedor de laranja.

“Será um dia de lazer que, certamente, nossos filiados irão gostar. Fizemos no ano passado e foi um sucesso. Por isso, estamos repetindo este ano. O Sintasa não serve apenas para fazer manifestações, mas também proporcionar momentos de confraternização como esse entre os filiados”, disse o presidente do Sintasa, Augusto Couto.

Compartilhe:
Com.: 0
quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Agentes de São Cristóvão encerram greve e voltam ao trabalho


Depois de oito dias de greve, os agentes comunitários de saúde (ACS) e agentes de combates às endemias (ACE) de São Cristóvão voltaram a trabalhar normalmente nesta quinta-feira (6). A decisão deu-se por conta das duas categorias terem acatado a contraproposta da Prefeitura de São Cristóvão em pagar o piso nacional e parcelar o retroativo a junho a partir de janeiro do próximo ano.

O Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) intermediou as negociações entre os servidores e a gestão municipal e conseguiu o acerto na terça-feira (3), mas só apresentando à ambas as categorias na assembleia de quarta-feira (5), que culminou na aprovação da contraproposta, uma vez que no mesmo dia houve a formalização do documento garantindo o cumprimento da negociação.

Desde junho deste ano, conforma Lei federal, o piso nacional dos agentes é de R$ 1.014, mas a Prefeitura de São Cristóvão pagava somente R$ 750,00, apesar de haver uma verba federal destinada exclusivamente para o pagamento dos agentes.

(Ver o documento em tamanho maior)




Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Após pressão dos sindicatos da saúde, governo promete pagar os salários nesta quarta


As categorias representadas por 10 sindicatos da saúde decidiram marcar nova paralisação na próxima sexta-feira (7) entre os servidores da rede estadual por conta do fracionamento do salário informado pelo Governo do Estado, caso o governo não pague os salários até quinta-feira (6). A decisão aconteceu durante uma assembleia dos sindicatos na manhã desta terça-feira (4), na sede do Sintasa. À tarde, a secretária de Saúde do Estado, Joélia Silva, garantiu durante uma reunião com os sindicalistas que os salários dos trabalhadores da Saúde seriam quitados nesta quarta-feira (5).


Os sindicatos solicitaram a secretária Joélia que ela faça uma intermediação para que o governo formalize por escrito um documento garantindo que não irá atrasar os próximos pagamentos, como a primeira parcela do 13º salário e o salário do mês de novembro. O certo é que independente de pagamento ou não, a comissão da Saúde irá fazer outra assembleia nesta sexta-feira (7), às 8 horas, no Sintasa.


O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), Augusto Couto, diz que os sindicatos já têm uma medida, caso o governo atrase novamente. “Se o governo não fizer o pagamento de novembro até o último dia do mês, iremos fazer uma paralisação imediata”, disse Augusto Couto.


De acordo com a presidente o Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (Seese), Shirley Morales, a união de todos os sindicatos foi importante para pressionar a gestão. “Temos agora essa promessa de pagamento, mas já tínhamos conseguido o pagamento integral aos servidores do IPES e também o pagamento fracionado dos servidores das fundações, que não receberiam no dia 31 nenhuma parte do salário”, reforça Morales.


Além do Sintasa e Seese, fizeram parte da assembleia representantes do Sindicato dos Médicos de Sergipe (Sindimed), do Sindicato dos Cirurgiões Dentistas de Sergipe (Sinodonto), Sindicato dos Psicólogos de Sergipe (Sinpsi), Sindicato dos Trabalhadores Fisioterapeutas de Aracaju (Sintrafa), Sindicato dos Assistentes Sociais de Sergipe (Sindasse), do Sindicato de Nutricionistas e Técnicos em Nutrição do Estado de Sergipe (Sindinutrise), Sindicato dos Farmacêuticos de Sergipe (Sindifarma) e o Sindicato dos Condutores de Ambulância do Estado de Sergipe (Sindiconam).



Compartilhe:
Com.: 0
1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última