Pesquisa
quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Servidores da Saúde do Estado irão paralisar dia 2 com indicativo de greve


A assembleia geral dos sindicatos da Saúde, ocorrida nesta quinta-feira (27), no auditório do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), confirmou a paralisação de 24 horas, no dia 2 de setembro, e um ato público, às 7 horas, no Palácio dos Despachos, onde o Movimento Intersindical irá protocolar um documento para o governador do Estado em exercício, Belivaldo Chagas, a fim de que ele tome uma decisão até o dia 11 de setembro em relação as pautas específicas que gira em torno da verdadeira implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV), Reajuste Salarial e os subsídios para as categorias que estão com pendências. Caso não haja uma reposta do governador há um indicativo de greve de três dias nos dias 22 a 24 de setembro de todos os trabalhadores com representações no movimento.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), Augusto Couto, agora o sindicato irá divulgar a paralisação para toda a categoria. “Vamos fazer reuniões nos hospitais regionais para passar as informações do que está acontecendo e organizar as escalas do dia da paralisação”, explicou o presidente.



Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Sintasa avança nas negociações sobre as questões do Hospital de Estância


Direção do Sintasa conversa com os servidores de Estância. Nas fotos menores, reunião do Sintasa com a gestão da FHS (Crédito das fotos: Kleber Santos/Sintasa)


Nos dias 1º e 3 de setembro a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) estará se reunindo com a direção da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), às 9 horas, na sede da fundação, para negociar os benefícios trabalhistas aos servidores do Hospital Regional Dr. Jessé Fontes de Estância. A decisão foi tomada na reunião entre as duas entidades, realizada na última segunda-feira (24). Devido ao avanço na negociação, a paralisação que ocorreria na terça-feira (25) foi suspensa e, na ocasião, a direção do sindicato esclareceu aos servidores sobre o andamento do diálogo com a gestão. Uma das pautas na reunião de setembro será a gratificação das variáveis, uma vez que não foi pago os reflexos.

Na reunião de segunda-feira, que contou com a presença do diretor geral do FHS, Hans Lobo, e com a superintendente do hospital de Estância, Luciana Carvalho, a gestão da fundação pediu desculpas ao presidente do Sintasa, Augusto Couto, pelo impedimento de não poder entrar no hospital na semana passada para realizar assembleia com a categoria. Agora, as portas estão abertas para as visitas do sindicato, inclusive, a conversa que houve com os servidores na terça-feira foi dentro do próprio hospital.

Sobre o Acordo Coletivo, Hans Lobo explicou que este assunto está na mesa do governador e faz parte da lista de demandas da categoria da Saúde e que, inclusive, já existe uma mesa de negociação com outros sindicatos para analisar esta e outras questões. Em relação a alimentação de má qualidade e insuficiente, de uma parte a gestão diz que está regularizada e, da outra parte, alguns servidores garantem que não existe uma constância na alimentação ideal. Daí, o sindicato continuará a fiscalizar sobre esse ponto.

Compartilhe:
Com.: 0
terça-feira, 25 de agosto de 2015

Convocação de Assembleia do Estado

 

Compartilhe:
Com.: 0
terça-feira, 25 de agosto de 2015

Horário de atendimento alterado

A partir do dia 1º de setembro deste ano, haverá mudança no horário de funcionamento na sede do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa). O atendimento para o público será de segunda-feira a sexta-feira das 7 horas às 14 horas. Contudo, os diretores durante todo o dia e após o novo horário estarão em atividades de reuniões internas, assembleias, visitas e em audiências públicas.

O horário do atendimento jurídico também sofrerá mudança. Ficando a partir da nova data o atendimento restrito às segundas-feiras e sextas-feiras, das 8h30 às 11h30min. 

No tocante às homologações, o atendimento continuará sendo às quintas-feiras, mas agora somente pela manhã. As empresas poderão encaminhar até três colaboradores por semana para fazer a homologação. 




 

Compartilhe:
Com.: 0
terça-feira, 25 de agosto de 2015

Palestras trazem conhecimentos aos participantes do Simpósio


Os trabalhadores que são terceirizados têm em média 27% a menos de salário com relação aos contratados de forma direta. A cada 10 trabalhadores que adoecem, 8 são terceirizados. A cada 5 trabalhadores que chegam à óbitos, 4 são terceirizados. Estes foram alguns dados alarmantes do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), divulgados pelo advogado Adalício Morbeck, durante o ciclo de palestras do I Simpósio da Saúde do Sintasa no qual ele abordou o tema “Conjuntura do Sistema Sindical” e  explicou como o sindicato pode funcionar na defesa de seus direitos. 

“Foi uma abordagem um tanto prática no sentido de informar à categoria quais são as principais medidas adotadas pelo governo para suprimir os direitos do trabalhador”, disse Morbeck.

O palestrante ressaltou sobre o projeto de Lei 4330, que reza sobre a precarização do ambiente do trabalho, e que está para ser aprovado no Senado, depois de passar pela Câmara Federal. A bancada dos deputados é bastante conservadora e tem uma predisposição muito grande de aprovar esse projeto de Lei. 

Atualmente, os serviços terceirizados são limitados a vigilância, limpeza e conservação de um patrimônio. Nessa condição, o país conta, aproximadamente, com 12 milhões de trabalhadores e os contratados de forma direta chegam a 34 milhões. “É mais de um terço. Se for aprovado da forma que está proposta, uma empresa poderá terceirizar todo o seu serviço. O trabalhador tem que ficar atento porque os dados demonstram que a terceirização não vai ser producente para a classe trabalhadora”, ligou o sinal amarelo o advogado. 

Assédio Moral
A segunda palestra da manhã foi com a advogada Laira Correia de Andrade, com o tema “Assédio Moral no Ambiente de Trabalho”. Ela conceituou o assédio moral como sendo a prática de condutas humilhantes e reiteradas praticadas no ambiente de trabalho cuja consequência é o dano psíquico do empregado. Explicou sobre as modalidades do assédio moral como descendente, ascendente, horizontal e mediante terceiros. Abordou também sobre as provas que podem ser utilizadas no processo que verse sobre o tema, bem como a quem incube a apresentação. “Tratamos ainda sobre o dano moral gerado por conta do assédio moral, de quem é a competência para julgar tais causas e enfatizamos a diferença entre tal modalidade e o assédio sexual”, resumiu Laira Correia.

À tarde, o advogado Ramon Cavalcante de Oliveira começou a segunda parte do simpósio ministrando sobre “Aposentadoria Especial do Trabalhador da Área da Saúde”. Na ocasião, ele destacou que está sendo desnecessário agora impetrar o mandado de injunção para fazer valer o direito do servidor público a aposentadoria especial porque, conforme o Supremo Tribunal Federal (STF), não é mais necessário o mandado de injunção com a adição da súmula vinculante 33, que faz com que o direito do servidor público seja amparado pela lei de regime geral da previdência social. “A gente vai cumprir os requisitos previstos nessa lei, desafogando o poder judiciário porque não será mais necessário impetrar o mandado de junção, basta a gente ingressar com ação de aposentadoria especial mesmo”, esclareceu Ramon Cavalcante.

Custeio do Sistema Sindical
E para finalizar o simpósio, o advogado Philipe Santos Almeida trouxe a temática da “Importância Prática das Formas de Custeio do Sistema Sindical”, de forma interativa e buscando ouvir os anseios dos trabalhadores da Saúde. “Nosso objetivo maior foi destacar a importância e a atuação, principalmente, do nosso sindicato para o movimento sindical, e a importância da filiação e da divulgação boca-boca das ações do sindicato para que possa cada vez mais se fortalecer. A categoria mais forte vai trazer reflexo na ampliação de seus benefícios”, declarou o advogado.

Algumas das ações vencidas pelo Sintasa, divulgadas na palestra, foram em relação ao Plano de Emprego e Remuneração (PER), endereçadas com duas ações: uma, referente a 25% de setembro de 2013, e a outra a 25% de setembro de 2014. Esta já transitou, foi julgada e a FHS não recorreu à Justiça que acabou fazendo as duas incorporações. “Apesar de não ter pago retroativo já foi um grande ganho para a categoria. Agora, a nossa luta vai ser em cima desse retroativo como 13º salário, férias um terço constitucional, insalubridade, adicional noturno e FGTS”, finalizou Philipe Santos.

Compartilhe:
Com.: 0
segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Servidores participam do I Simpósio da Saúde do Sintasa


O Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) realizou o I Simpósio da Saúde realizado pelo sindicato para todos os servidores do nível médio da Saúde, nesta segunda-feira (24), na sede do Sindicato dos Bancários de Sergipe. Foram quatro palestras, ministradas pelo departamento jurídico do sindicato, cujos temas foram “Conjuntura do Sistema Sindical”, “Assédio Moral no Ambiente de Trabalho”, “Aposentadoria Especial do Trabalhador da Área da Saúde”, e a “Importância Prática das Formas de Custeio do Sistema Sindical”.

O presidente do Sintasa, Augusto Couto, destacou a importância da iniciativa. “O Sintasa está saindo na frente com esse primeiro simpósio. Nós já tínhamos esse projeto de realizar esse evento, mas só conseguimos agora. É um movimento piloto que fizemos em Aracaju, mas queremos expandir para as regionais. Agora, já estamos com o pensamento de organizar o próximo evento. E, quem sabe, já com patrocínios, com colaboradores que possam nos ajudar, e também abordando outras temáticas”, disse Couto, agradecendo a Ivânia Pereira, presidente do Sindicato dos Bancários por ter cedido o espaço, e o presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadores do Brasil, Sergipe (CTB/SE), Edval Góes, que foi representando pelo vice-presidente, Waldir Rodrigues, que marcou o evento com uma “brilhante fala”.

No final das palestras, houve a entregados certificados aos participantes, como foi o caso da usuária do SUS e trabalhadora, Vera Lúcia, que ficou satisfeita com o evento. “Achei o simpósio muito bom. Abordou assuntos importantes que precisamos saber e nos beneficiar. E vimos também a importância de estarmos participando das ações do sindicato e se filiando a ele. Porque é melhor entrarmos sempre com uma ação coletiva junto com o Sintasa do que de forma individual. Uma pena que nem todos os trabalhadores participaram. Não basta apenas cobrar, mas participar também”, disse Vera Lúcia.

Compartilhe:
Com.: 0
segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Galerias de imagens do I Simpósio da Saúde

Veja as duas galerias de imagens do I Simpósio da Saúde do Sintasa


Clique AQUI para ver a parte 1

 
Clique AQUI para ver a parte 2

Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Sintasa sofre com ditadura da gestão do Hospital de Estância e marca paralisação


A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) foi impedida de entrar no Hospital Regional Dr. Jessé Fontes de Estância para fazer uma assembleia com a categoria nesta quarta-feira (19) para saber dos anseios dos servidores e apresentar a situação da falta do Acordo Coletivo do Trabalho. Diante disso, foi marcada uma paralisação de 24 horas dos técnicos e auxiliares de enfermagem, além do nível médio da administração do estabelecimento, para a próxima terça-feira, dia 25 de agosto.

“Foi um absurdo o que aconteceu em Estância. Sempre tivemos acesso em todos os hospitais do estado, mas a superintendente do Hospital de Estância, Luciana Carvalho, nos impediu de entrar no hospital, fazer a assembleia, e nem deixou que eu, que além de ser presidente do Sintasa, faço parte do Conselho Estadual de Saúde, visitar o local. Ela alegou que o impedimento era para não contaminássemos os pacientes e a mando da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS). Porém, como uma fundação que presta serviço ao Governo do Estado, que é comandado por um governador do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) pode aceitar um ato de ditadura como esse? Será que estamos regredindo para a ditadura?”, disse Augusto Couto, presidente do Sintasa, pedindo uma posição do secretário de Estado da Saúde, Zezinho Sobral.

Na avaliação do presidente Augusto Couto, a situação dos servidores da FHS é grave porque não receberam o reajuste e não há diálogo para acertar o Acordo Coletivo. “Estaremos fazendo essa paralisação para tentar chamar atenção do poder público sobre a nossa situação, que não é somente dos profissionais do nível médio, mas de todos da Saúde. Por isso, iremos convocar os outros sindicatos da Saúde para lutar por essa causa”, disse o líder sindical.

A ação negativa da superintendente ocorre depois da paralisação da categoria no dia 13 de agosto por conta da má qualidade e quantidade da alimentação fornecida aos servidores. Na ocasião, a superintendente mandou no meio da tarde funcionários de uma empresa terceirizada lavar a calçada do hospital, local onde estavam os servidores paralisados,  para tentar atrapalhar o movimento sindical. Ela queria que a paralisação fosse encerrada, alegando que o problema com a alimentação foi resolvida, mas o Sintasa recebeu novas denúncias afirmando que os cortes retornaram, como de suco para os trabalhadores.



Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Convocação de assembleia para os agentes de São Cristóvão



Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Faça sua inscrição para o I Simpósio da Saúde do Sintasa

Estão abertas as inscrições gratuitas para o I Simpósio da Saúde do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), que acontecerá no dia 24 de agosto de 2015, às 8 horas, na sede do Sindicato dos Bancários, localizado na Av. Gonçalo Prado Rollemberg, 794/804, no Centro de Aracaju.

O simpósio, com carga horária de 8 horas, contará com quatro palestrantes: Advogado Adalicio Morbeck, falará sobre a “Conjuntura do Sistema Sindical”; advogada Laira Correia de Andrade, abordará sobre “Assédio Moral no Ambiente de Trabalho”; advogado Ramon Cavalcanti de Oliveira, ministrará sobre “Aposentadoria Especial do Trabalhador da Área da Saúde”; e o advogado Philipe Santos Almeida, falará sobre “A Importância Prática das Formas de Custeio do Sistema Sindical”.

Depois do servidor preencher a ficha de inscrição pode entregar na sede do Sintasa, localizada na Rua Lagarto, 755, no Centro de Aracaju; ou através do e-mail: sintasa-se@hotmail.com até o dia 18 de agosto (terça-feira), ao meio-dia.

>> Clique AQUI para preencher a FICHA DE INSCRIÇÃO E ENVIAR PARA O SINTASA



Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Convocação de Assembleia com servidores do Hospital de Estância



Compartilhe:
Com.: 0
quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Servidores do Hospital de Estância fazem paralisação e sofrem retaliação

Os técnicos e auxiliares de enfermagem e os profissionais do setor administrativo do Hospital Regional Dr. Jessé Fontes de Estância realizaram uma paralisação de 24 horas nesta quinta-feira (13) para reivindicar melhorias na qualidade e quantidade da alimentação no local. Durante todo o dia, cerca de 70% do pessoal ficou paralisado munido de faixas na frente do hospital. A gestão do hospital esboçou negociar, mas não quis assinar um documento se comprometendo a melhorar os serviços de alimentação. E como retaliação mandou lavar a calçada do hospital, local de reunião dos paralisados, forçando indiretamente a se retirarem do local coberto e ficarem propensos a se molharem na chuva por conta do tempo nublado. 

A paralisação dos servidores começou às 7 horas da manhã desta quinta-feira e contou com o apoio do Sintasa, através dos diretores e do presidente Augusto Couto, que foi convidado a se reunir com a superintendente do hospital, Luciana Carvalho. A gestora tentou mostrar que desde a quarta-feira houve melhoras na alimentação, cuja empresa fornecedora é a “M. S. HARB”, com o retorno do fornecimento de suco, café com leite, e duas opções de pratos durante o almoço, como lasanha ou carne, apesar do sindicato argumentar que lasanha deveria ser prato acompanhante e não como opção de principal. Diante disso, a superintende solicitou o fim da paralisação, mas o Sintasa só concordaria caso a gestora assinasse um documento garantindo que a boa alimentação continuaria a ser servida como rotina do hospital e não apenas neste dia pontual, contudo, Luciana Carvalho não aceitou a contraproposta alegando que a responsabilidade seria da empresa terceirizada e não da gestão.

 “O que deu a entender é que a empresa terceirizada tem mais poder do que a Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) já que a superintendente do hospital não pode garantir a continuidade do bom fornecimento da alimentação”, observou o presidente do Sintasa, Augusto Couto.

Como não houve um acordo, os profissionais da Saúde continuaram a paralisação juntamente com os representantes do Sintasa durante todo o dia. Contudo, no meio da tarde, a superintendente Luciana Carvalho num ato suspeito, mandou uma empresa terceirada de limpeza, lavar a calçada do hospital, justamente no local coberto onde os servidores estavam acampados. Sem muita alternativa, eles tiveram que ficar num local descoberto sujeitos a se molharem na chuva por conta do tempo nublado. “Não temos dúvidas que a superintendente mandou fazer isso de propósito demonstrando uma falta de sensibilidade humana e capacidade de negociação”, disse o gerente do Sintasa, Janderson Alves.



Compartilhe:
Com.: 0
1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última