Pesquisa
quarta-feira, 20 de maio de 2015

Feliz, Dia dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem!

 

Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 20 de maio de 2015

Agentes São Cristóvão farão paralisação de 24 horas


Os Agentes Comunitários de saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACE) de São Cristóvão irão fazer uma paralisação de 24 horas na próxima terça-feira (26), com mobilização no Posto de Saúde José Figueiroa, no Eduardo Gomes. A ideia é reivindicar o pagamento retroativo de julho a dezembro de 2014 do piso da categoria decretado por Lei Federal. “Desde janeiro, encaminhamos diversos ofícios para a prefeitura tentando uma negociação e, até mesmo, o parcelamento desse retroativo, mas não percebemos uma vontade política da prefeitura em resolver a questão”, explicou Augusto Couto, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa).

Depois da mobilização, às 9 horas, haverá uma assembleia com os ACS, ACE, e os técnicos e auxiliares de enfermagem do município, estes últimos por sofrerem da gestão pela falta de reajuste salarial, assim como os auxiliares de saúde bucal (ASB). “Vamos aproveitar que já estamos reunidos com os agentes para realizar uma assembleia geral com todos os profissionais de Saúde do nível médio para tentar buscar soluções para os anseios de todos”, disse Augusto Couto.

Estas deliberações foram decididas nesta terça-feira (19) durante assembleia dos agentes com o presidente do Sintasa na residência de uma servidora do município, uma vez que havia uma reunião marcada com a gestão na segunda-feira (18), contudo, foi desmarcada mais uma vez.




Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 20 de maio de 2015

Condutores de ambulâncias acenam com possibilidade de paralisação

O Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) juntamente com os condutores de ambulâncias do Serviço de Remoção Inter-Hospitalar Assistida (SRIHA) ligados à Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) e a empresa terceirizada “Liderança” irão fazer uma assembleia da categoria, na próxima segunda-feira, às 7 horas, na própria central para deliberar ou não uma paralisação e mobilização por conta das irregularidades da gestão.

A iniciativa deu-se depois que a diretoria do Sintasa realizou nesta terça-feira (19) uma visita na Central de Ambulâncias e recebeu denúncias dos condutores de ambulância que os ligados à FHS estão sem reajuste salarial há 5 anos, não recebem hora-extra e nem diárias quando vão fazer remoção de pacientes de baixo risco clínico entre os hospitais para a realização de procedimentos e transferência para leitos de retaguarda no interior do estado. Por sua vez, os condutores vinculados à empresa Liderança estão sem receber insalubridade, hora-extra e as diárias.

“Visitamos os condutores, recebemos estas denúncias e estamos encaminhando ofícios para os gestores a fim de tomarem uma providência. Da nossa parte, iremos realizar esta assembleia e o que a categoria acatar iremos realizar seja a paralisação ou não”, declara Augusto Couto, presidente do Sintasa.

Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 15 de maio de 2015

Sintasa fecha parceria com o TopCard



Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 15 de maio de 2015

Lei Municipal Complementar sobre os ASB

Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 15 de maio de 2015

Sintasa consegue garantia da nomenclatura Auxiliar de Saúde Bucal nos contracheques

O Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) conseguiu junto a Prefeitura de Aracaju que seja cumprida a Lei Federal que reza sobre a mudança de nomenclatura de Assistentes de Consultório Dentário para Auxiliar de Saúde Bucal (ASB). Esta foi a garantia que o secretário municipal de Saúde, Luciano Paz, deu em relação a um dos pontos da lista de negociação entre o sindicato e gestão municipal, cuja reunião ocorreu nessa quarta-feira (13), na sede da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Durante a reunião, o secretário explicou que só falta a mudança no contracheque dos trabalhadores, mas que estará ajusta isso com a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplog) para que os próximos contracheques já estejam ajustados, uma vez que em dezembro do ano passado foi sancionada uma Lei Municipal alterando a denominação do cargo.

Compartilhe:
Com.: 0
quinta-feira, 14 de maio de 2015

Convocação de assembleia dos ACS E ACE de São Cristóvão



Compartilhe:
Com.: 0
terça-feira, 12 de maio de 2015

Sintasa e MPT defendem direitos dos empregados da Funesa e Parreiras Horta

O procurador do Trabalho, Alberico Luis Batista Neves, esclareceu mais uma vez que o Ministério Público do Trabalho (MPT) entende pela impossibilidade de redução dos direitos trabalhistas dos empregados públicos da Funesa e Fundação de Saúde Parreiras Horta, incluindo os direitos previstos nos respectivos acordos coletivos, caso haja fusão entre as duas fundações com a Fundação Hospitalar de Saúde (FHS). O posicionamento foi realçado, nessa quinta-feira (7), durante a audiência pública no MPT com representantes do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), outros sindicatos da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

“Não há como se imputar qualquer prejuízo aos empregados concursados em razão da unilateral decisão da administração em relação à fusão”, diz o procurador no termo de audiência. “Ainda não há nenhuma informação concreta sobre efetivação ou não da fusão, levando em conta ainda há ausência de previsão de conclusão do estudo”, acrescenta no termo.

Pelo lado do Sintasa, o presidente Augusto Couto enfatizou que o sindicato não concorda com a fusão ou incorporação das fundações. “O nosso interesse maior é o vínculo dos trabalhadores. O próprio Ministério Público do Trabalho está vigilante para que nenhum servidor tenha perda como nos acordos coletivos que foram formalizados. A nossa perspectiva é que o trabalhador não terá nenhum prejuízo diante da reforma que o governo está fazendo”, pontuou Augusto Couto, que esteve presente o membro do conselho fiscal do sindicato, Salathiel de Oliveira.

Na audiência, houve o acerto que no dia 1º de junho a Secretaria de Estado da Saúde realize uma reunião, em local e horário a ser confirmado, com representantes dos sindicatos da Saúde para apresentar informações atualizadas sobre o andamento do estudo acerca da viabilidade da fusão da Funesa e Fundação Parreiras Horta à FHS.
O secretário da SES, José Macedo Sobral, disse que o objetivo da fusão seria a redução de custos, no entanto, os estudos iniciais já demonstram que haveria significativo aumento de custos e que a SES já está cogitando a possibilidade da fusão somente entre a Funesa e Parreiras Horta. “Não houve realização de estudo sobre o impacto orçamentário em relação ao reflexivos trabalhistas decorrentes de uma possível fusão”, adiantou o secretário no termo de audiência.

Participaram da audiência, além do Sintasa, o Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (Seese) e o Sindicatos dos Técnicos e Auxiliares de Laboratórios de Sergipe (Sintelab).

Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 8 de maio de 2015

Sintasa e outros sindicatos recebem proposta sobre recomposição salarial em Estância


O Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) e outros sindicatos da Saúde estiveram negociando com a gestão municipal de Estância sobre a recomposição salarial e outros assuntos nessa quarta-feira (6), em Estância, e recebeu a proposta de que a prefeitura pretende fazer o reajuste salarial de 6,23%, dos servidores em junho e que nessa mesma data o retroativo a março seria pago em parcelas, e que até dezembro de 2015 haveria um estudo para unificar o regime jurídico para que os celetistas passem a ser estatutários. 
 
Na reunião, que contou com a participação do presidente do Sintasa, Augusto Couto, houve discussão ainda para que o auxílio-alimentação, concedido aos auxiliares e técnicos de enfermagem, possa ser estendido para a equipe do Programa de Saúde da Família (PSF), além de todos os médicos, enfermeiros e dentistas. Pelo lado do município, o representante da gestão disse que iria observar a possibilidade de oferta de forma isonômica e conversar com o prefeito. 
 
A gestão esclareceu que sobre a revisão do estatuto dos servidores, outro ponto de diálogo na reunião, uma empresa especializada já está em fase de contratação, mas garantiu que haverá a participação dos sindicatos na confecção do estatuto. 

Além do Sintasa, estiveram presentes representantes do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (Seese), Sindicato dos Cirurgiões-Dentistas de Sergipe (Sinodonto), sindicato dos servidores municipais de Estância e das secretarias municipais de Administração, Educação, Saúde e da procuradoria do município.

Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 6 de maio de 2015

Falta um mês para mais uma edição do Forró Sarado

16ª edição contará com a novidade de dois dias de festa, 5 e 6 de junho

A tradicional comemoração dos festejos juninos do Sintasa para os seus filiados irá acontecer com a realização da 16ª edição do Forró Sarado, nos dias 5 e 6 de junho, no Espaço Cultural Gonzagão, em Aracaju. Serão sete atrações renomadas que agitarão nos dois dias de festa: Banda Alma Gêmea, Forró dos Plays, Forró Experimenta, O Rei da Farra, Marcos Giva, Kelly Costa, e Forró Se Avexe Não.

Os convites para o Forró Sarado poderão ser adquiridos a partir do dia 4 de maio, mas para isso, basta o filiado ir até a sede do Sintasa, que fica localizada na Rua Lagarto, 755, no centro da capital, munido do seu contracheque atualizado. Cada filiado terá direito ao seu convite e mais três por noite.

De acordo com o presidente do Sintasa, Augusto Couto, o motivo de realizar dois dias de evento pela primeira vez é que todas as edições anteriores foram lotadas e muito requisitadas pelos filiados. “Esse acréscimo de um dia é para atender os pedidos dos filiados que queriam mais divertimento e atrações. Vamos fazer por experiência. Se der certo poderemos repetir nos próximos anos”, explicou o coordenador.

Para Augusto Couto, o Forró Sarado é mais uma oportunidade de confraternização da categoria. “Os profissionais de Saúde sofrem tanto durante o ano com as péssimas condições de trabalho, falta de reajuste digno de salário e muitos vivem com estresse. Então, uma festa dessa serve para eles relaxarem, curtirem com a família tranquilamente, já que zelamos pela organização e segurança, e além disso, poder rever aquele amigo da área que, às vezes, não consegue ver por conta da correra do dia-a-dia”, diz o presidente do Sintasa.

Além de não ser uma festa paga, mas sim dos filiados, outro fato que chama atenção é o preço dos alimentos típicos e bebidas da festa. Por exemplo, água, refrigerante e cerveja custarão apenas R$ 2,00, graças ao fato de parte do custo será subsidiado pelo sindicato.

Agora, é só cada filiado fazer a contagem regressiva para curtir duas noites de muita festa e alegria.

Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 1 de maio de 2015

Sintasa participa da manifestação no Dia do Trabalhador


A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) e alguns filiados estiveram dando apoio durante toda manhã desta sexta-feira (1º de maio), no ato de protesto, reivindicação e comemoração ao Dia do Trabalhador, na Praça da Juventude, no Conjunto Augusto Franco. A programação, organizada pela União Geral dos Trabalhadores de Sergipe (UGT) e a Central dos Trabalhadores do Brasil em Sergipe (CTB/SE) em parceria com diversos sindicatos, contou ainda com sorteios de vários brindes e conscientização das principais lutas das categorias.

O presidente do Sintasa, Augusto Couto, ressaltou a união dos trabalhadores para a realização do ato. “A luta do trabalhador tem que ser assim, uma luta unificada, com as duas centrais CTB e UGT juntas e os sindicatos filiados à estas centrais apoiando e mostrando a sociedade que os trabalhadores tem que lutar juntos contra as perdas dos direitos dos trabalhadores, mas também comemorar cada conquista”, disse Augusto, relembrando a última conquista do Sintasa na Justiça, que foi a incorporação de 25% das gratificações dos celetistas da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS).

Para o presidente da CTB-SE, Edival Góes, o Dia do Trabalhador serve também para politizar os trabalhadores. “É preciso elevar a consciência política. Nós lutamos para melhorar as condições de trabalho e de salário, mas na hora da definição política, a gente termina escolhendo mal”, disse o presidente, que também fez outro alerta: “Precisamos valorizar a nossa força de trabalho, tem que vender em melhores condições. É esse o nosso chamado, a conscientização política do trabalhador”.

Pelo lado do presidente da UGT, Ronildo Almeida, um dos principais pontos da manifestação é a PL 4330 sobre a Terceirização e as Medidas Provisórias 664 e 665. “É um momento de fazermos uma reflexão sobre os avanços e os prejuízos que classe trabalhadora tem tido, até mesmo pelo fato de que a própria classe tem que se politizar ainda mais para que possa votar nos parlamentares de forma correta e para aqueles que tem compromisso com os trabalhadores”, disse Ronildo, acrescentando que atualmente o Congresso é formado por uma classe patronal.

O tesoureiro nacional do PT, Marcio Macedo, esteve presente no evento e disse que o Dia do Trabalhador é um dia de resistência e reivindicação. “Vivemos num momento em que os trabalhadores do Brasil estão vivendo um cerco político muito forte. Setores da elite, da grande mídia e parte do Congresso conservador quer interditar a pauta dos Trabalhadores na Câmara e no Senado, sobretudo, quer destruir conquistas dos trabalhadores ao longo dos anos. Essa PL 4330 é um retrocesso grande e quer voltar o Brasil aos anos 30”, declarou o ex-deputado federal.


Compartilhe:
Com.: 0
quinta-feira, 30 de abril de 2015

Sintasa aponta irregularidades de novo sindicato

Parte da diretoria do Sintasa que queria acompanhar a assembleia do Sintama, mas que foi barrada na porta da Força Sindical (Crédito da foto: Ascom/Sintasa)

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), Augusto Couto, esclarece a categoria que o Sindicato dos Técnicos e Auxiliares de Enfermagem do Município de Aracaju (Sintama) não pode representar a categoria porque não possui carta sindical, uma vez que o pedido de registro sindical formulado pelo Sintama junto ao Ministério do Trabalho e Emprego encontra-se com impugnação pendente de análise porque sua criação fere o princípio da unicidade sindical que veda mais de um sindicato representando a mesma categoria.

“O Sintasa, fundado há mais de 25 anos, é o sindicato que tem carta sindical e já representa a categoria, inclusive, tendo com sua base em Aracaju”, diz Augusto Couto, observando que base do Sintama também é em Aracaju. “Infelizmente, esta entidade que não tem registro está enviando ofícios e entrando em contato telefônico com algumas unidades de saúde passando-se por representante dos técnicos e auxiliares de enfermagem de Aracaju”, revela.


Outra questão é que a Assessoria Jurídica do Sintasa ajuizou demanda para questionar a validade das eleições realizadas pelo Sintama, pois tudo aponta que o processo eleitoral descumpriu diversos dispositivos do próprio estatuto social. “Quero acalmar a classe e informar que o Sintasa continua firme no propósito de defender bem a categoria, o que engloba o combate à existência de entidades sindicais que servem apenas para atender interesses pessoais em detrimento da categoria”, declara Augusto Couto.

Nesta sexta-feira (30), diretores do Sintasa foi impedido de entrar na Força Sindical para participar de uma assembleia do Sintama. “O próprio presidente da Força Sindical em Sergipe, Willian Roberto Cardoso Arditti, veio nos dizer que não poderíamos entrar. Esta foi uma atitude antidemocrática. Deveria abrir o portão e deixar a gente entrar, até porque estamos aqui com civilidade”, reclama Couto, acrescentando que do lado de fora os diretores fizeram uma panfletagem para esclarecer a categoria.

O fato é que o presidente da Força Sindical em Sergipe está na frente da tentativa de criação do Sintama, depois que o Sintasa se desassociou da Força Sindical, no ano passado, para aderir à Central de Trabalhadores do Brasil (CTB). “Isso que ele está fazendo só vem fragilizar a categoria, como é de costume, prejudicando os trabalhadores da Saúde”, afirma o presidente do Sintasa.


Compartilhe:
Com.: 0
1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última