Pesquisa
terça-feira, 28 de julho de 2015

Convocação para assembleia em Lagarto



Compartilhe:
Com.: 0
segunda-feira, 27 de julho de 2015

Movimento Intersindical visita o presidente do TJ/SE para buscar apoio


Depois de visitarem a Assembleia Legislativa e o Tribunal de Contas, o Movimento dos Trabalhadores do Serviço Público do Estado estiveram visitando o presidente o Tribunal de Justiça de Sergipe, desembargador Luiz Antônio Araújo Mendonça, nesta segunda-feira (27), para apresentar as reivindicações das categorias como o fim da manipulação na contabilidade pública e efetivação dos acordos, como o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) e os subsídios, além do reajuste salarial. No dia 4 de agosto, haverá uma paralisação de 24 horas dos servidores e um ato público, às 8 horas, na frente da Assembleia Legislativa.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), Augusto Couto, a visita desta segunda-feira fechou a agenda de visitar no TCE, Assembleia Legislativa e TJ. “Queremos um apoio dessa Casa (Tribunal de Justiça), e que as contas do Governo do Estado sejam transparentes. Entendemos que estamos num momento de reajuste salarial, mas o Governo nem sequer cumpriu o Acordo Coletivo”, afirmou Augusto, acenando com a possibilidade de futuramente ocorrer uma greve.

Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 24 de julho de 2015

Sintasa, com apoio do MPT, ganha ação superior a R$ 400 mil para os servidores de Campo do Brito


O Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) convoca os trabalhadores da Saúde de Campo do Brito que fizeram parte do processo nº 00414-2002-013-20-00-6 para comparecer à sede da entidade, localizada na Rua Lagarto, nº 755, no centro de Aracaju, a fim de receber as verbas do processo vencido na Justiça, que totalizaram o montante superior a R$ 400 mil.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) ajuizou Ação Civil Público em face de Campo do Brito e convidou o Sintasa para fazer parte do processo requerendo as verbas de 13º Salário referente aos anos de 1997-2001, aalários atrasados do mesmo período, diferenças salariais com relação ao mínimo legal do período não prescrito, recolhimento do FGTS sobre estes pedidos e reflexo das diferenças salariais nas férias.

Nesta semana, a diretoria do Sintasa visitou os servidores do município para divulgar a vitória conquistada na Justiça e explicar os trâmites legais para receber os benefícios.

Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 24 de julho de 2015

Sintasa protocola ofícios sobre a paralisação

A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) conseguiu protocolar em 11 orgãos o ofício comunicando a decisão da assembleia conjunta com os servidores da saúde do Estado que resultou na decisão de fazer uma paralisação de 24 horas no dia 4 de agosto.

Segue a lista dos orgãos que foram comunicados da decisão: Secretaria de Estado da Casa Civil, Secretaria de Estado da Saúde, Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão; Ministério Público do Estado, Ministério Público do Trabalho, Superintendência Regional do Trabalho, Fundação Hospitalar de Saúde, Hospital de Urgência de Sergipe, Maternidade Nossa Senhora de Lourdes, CAISM e CASE.

Veja aqui em tamanho ampliado:

Veja aqui em tamanho ampliado - parte2:


Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 24 de julho de 2015

Servidores da Saúde do Estado farão paralisação de 24 horas


Os profissionais do nível médio da Saúde como os técnicos e auxiliares de enfermagem, além dos enfermeiros, médicos e psicólogos do Estado farão uma paralisação de 24 horas no dia 4 de agosto e estarão presentes no ato juntamente com o movimento intersindical no mesmo dia, às 8 horas, na frente da Assembleia Legislativa de Sergipe, para protestar contra a falta de reajuste linear, reivindicar o fim da manipulação na contabilidade pública e efetivação dos acordos com a categoria, como o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) e os subsídios. A decisão da paralisação foi decidida na assembleia conjunta dos servidores nesta quinta-feira (24), no auditório do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE).

Nesta sexta-feira (25), a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) irá protocolar o aviso da paralisação na Secretaria de Estado da Saúde (SES), Palácio dos Despachos, Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) e em todas as regionais do Estado. E após receber as assinaturas de recebido, irá divulgar os ofícios no site do Sintasa: www.sintasa.com.br.

Sobre a reunião, além de divulgar para as categorias sobre a situação que se encontra a negociação com o Governo, ou seja, sem abertura, o Sintasa por meio do advogado Adalício Morbeck, do departamento jurídico, esclareceu ainda sobre alguns pontos como a manutenção de 30% dos servidores durante a paralisação e outras questões.

Participaram pelo lado Sintasa, além do advogado, os diretores João Wadson, Marcos Santana, e o gerente Janderson Alves. A assembleia ainda contou com o Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (Seese), Sindicato dos Médicos de Sergipe (Sindmed) e Sindicato dos Psicólogos do Estado de Sergipe (Sinpsi).



Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 22 de julho de 2015

Assembleia com servidores do Estado nesta QUINTA

 

Compartilhe:
Com.: 0
quinta-feira, 16 de julho de 2015

Sintasa realiza ato público na frente do HUSE


Com o intuito de reivindicar o fim da manipulação na contabilidade pública e efetivação dos acordos com a categoria, como o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) e os subsídios, além do reajuste salarial, o Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) e outros sindicatos da área, fizeram uma mobilização nesta quinta-feira (16), durante o último dia da paralisação de 48 horas, na frente do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE).

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), Augusto Couto, espera que o Governo do Estado abra a “mesa de negociação, mas não a de enrolação”. “Queremos uma negociação para dar continuidade aos assuntos que estão praticamente parados, como o Plano de Emprego e Remuneração (PER), que ainda não avançou e é um direito do trabalhador celetista, além do PCCV que tem que funcionar de verdade”, afirma Augusto. “Se o Governo não atender as nossas reivindicações nós iremos fazer greve por tempo indeterminado”.

O presidente do Sintasa explica ainda que o ato público serve para reivindicar também algumas pautas específicas dos trabalhadores do nível médio da Saúde. “Existem algumas ações judiciais que, praticamente, só quem acionou foi o Sintasa por envolver somente a nossa categoria, como a questão da variável que já saí incorporada ao salário do servidor, mas existe o retroativo que é o passivo que a Fundação Hospitalar de Saúde não pagou ainda e nós queremos cobrar isso”, explica Augusto. “Outra ação judicial é a questão dos auxiliares de enfermagem que estão no nível básico, mas que precisa ir para o nível médio”, completa.

O vice-presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em Sergipe (CTB/SE), Waldir Rodrigues, disse que o Governo do Estado usou uma manobra exonerando 3 mil cargos de comissão em dezembro porque precisava pegar um dinheiro emprestado da ordem de R$ 170 milhões que estava preso por uma questão burocrática pelo parecer do Senado Federal, mas em janeiro foram nomeados novamente os 3 mil cargos, com retroativo a 1º de dezembro. “Era para ter tomado essa atitude para colocar o Estado num patamar compatível com a Lei de Responsabilidade Fiscal. Ele (governador) fez isso e foi possível para tomar dinheiro emprestado, mas na hora de resolver o problema do trabalhador, ele não faz porque o compromisso dele é com os aliados, não é nem com o trabalhador e nem com o povo sergipano”, afirma Waldir Rodrigues.

Compartilhe:
Com.: 0
quinta-feira, 16 de julho de 2015

Ofícios do Sintasa avisando sobre a paralisação para os gestores

Clique AQUI para ver os ofícios ampliados

Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 15 de julho de 2015

Sindicatos da Saúde realizam ato público nesta quinta-feira


Depois do ato público dessa quarta-feira (15), na frente do Palácio dos Despachos, comandado pelo movimento intersindical dos funcionários públicos de Sergipe, que faz parte da paralisação de 48 horas iniciada no mesmo dia, os sindicatos ligados à Saúde irão promover outro ato nesta quinta-feira (16), às 7 horas, na frente do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE). As reivindicações gerais dos trabalhadores são o fim da manipulação na contabilidade pública e efetivação dos acordos com a categoria, como o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) e os subsídios, além do reajuste salarial e por um serviço público de qualidade. 

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), Augusto Couto, comentou sobre a unificação dos sindicatos. “Nós temos os nossos pontos comuns e também algumas particularidades. Sabemos que a Saúde é uma área muito específica, muito difícil, e nós estamos aqui lutando pelo PCCV que até agora o Governo disse que não saiu do limite prudencial, mas até quando ficará assim? E pior que sempre temos visto novos cargos de comissão sendo criado e mostrado no Diário Oficial. Então esta é uma luta que estamos fazendo e iremos continuar até que o Governo ceda à nossa luta”, falou taxativamente, Augusto Couto, convidando todos os servidores da Saúde para o ato desta quinta-feira no HUSE. “Esse é um momento de luta que todos têm que se unir para conquistar esse direito”.

O vice-presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em Sergipe (CTB/SE), Waldir Rodrigues, disse que a sua entidade apoia todas as lutas dos trabalhadores e acompanha mais de perto a luta dos seus sindicatos filiados. “Estamos aqui conclamando o governador para abrir o canal de negociação porque sem isso as paralisações e manifestações irão continuar, e até greve poderá acontecer, prejudicando assim a população sergipana por conta do que está faltando”, afirmou Waldir Rodrigues.

Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 10 de julho de 2015

Convocação à paralisação de 48 horas

 Veja o vídeo no link: https://youtu.be/g6a4TnqYYy4

 

Compartilhe:
Com.: 0
segunda-feira, 6 de julho de 2015

Adiada assembleia com os agentes em São Cristóvão

A Assembleia do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) com Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Combate às Endemias (ACE) de São Cristóvão, que estava marcada para esta segunda-feira (6) foi adiada para o dia 17 de agosto, às 8 horas, residência da servidora Betânia em frente ao posto Petrox, no conjunto Roza Elze. A mudança foi porque a reunião com o prefeito Jorge Eduardo também foi adiada e ele pediu 30 dias para resolver a questão do retroativo de julho a dezembro de 2014 do piso nacional dos agentes. 

No dia 1º de junho os ACS e ACE começaram uma greve, que durou três dias, e só foi suspensa por conta do problema político que vive o municio com a renúncia da ex-prefeita Rivanda Batalha. Em assembleia, realizada no dia 3 de junho, os servidores em comum acordo com a diretoria do Sintasa resolveram suspender a greve e marcar a assembleia para 6 de julho.



Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 3 de julho de 2015

Servidores do Samu não realizarão greve e apostam em negociação


Após a decisão de colegiado do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE) de adiar por 60 dias o prazo da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) para mudar a carga horária de 24h para 36h dos assistentes de enfermagem e condutores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a categoria decidiu durante a assembleia nesta sexta-feira (3) em não promover nenhuma greve e aproveitar este período para negociar o Acordo Coletivo com a FHS e um projeto de Lei na Assembleia Legislativa garantindo a permanência da carga de 24h, assim como acontece com os médicos e enfermeiros.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), Augusto Couto, depois da categoria conseguir o avanço das 24 horas na greve realizada no ano passado, não pode agora regredir. “Naquele tempo, o governo não consegui dar um reajuste, mas conseguimos diminuir a carga horária. Com a decisão de ter que voltar para as 36 horas, será um prejuízo grande para os servidores se isso acontecer. Por isso, o governo tem que continuar com a palavra que foi acertada na época da greve e confirmar legalmente a carga horária de 24 horas”, disse Augusto Couto, adiantando que já foi confeccionado o Acordo Coletivo e só falta marcar uma reunião com a direção da FHS para que seja negociado e assinado o acordo.  

O presidente do Sindicato de Condutores de Ambulância de Sergipe (Sindiconam/SE), Adilson Melo, explica que o adiamento foi fruto de uma reunião com o conselheiro do TCE/SE, Clóvis Barbosa, na qual foi mostrado para ele que era preciso um prazo para tentar regularizar esta situação. “Agora, vamos sentar com o Governo do Estado e tentar resolver nossa questão. Primeiro, assinando o Acordo Coletivo, que já está pronto, e depois com a criação de uma Lei Estadual”, diz Adilson, otimista com a postura do governador do Estado, Jackson Barreto, que numa conversa informal, no último sábado, garantiu que iria resolver a situação dos servidores do Samu.



Compartilhe:
Com.: 0
1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última