Pesquisa
segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

FHS: Sintasa solicita reunião com o Governo do Estado


Tendo em vista o fim do contrato da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) com o Governo do Estado no dia 31 de janeiro, a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) encaminhou ofícios para o Governo, Secretaria de Estado da Saúde, Casa Civil e Secretaria de Planejamento, no dia 23 de janeiro, solicitando uma reunião com Governo do Estado.

>> Veja AQUI o ofício em imagem ampliada



Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Mesa de negociação permanente do SUS-Aracaju é retomada


A reivindicação dos sindicatos da Saúde foi atendida e a mesa de negociação permanente do SUS-Aracaju será retomada. A mesa é um fórum de discussão e negociação entre representantes dos trabalhadores da Saúde e da gestão. O anúncio da retomada foi feito nesta terça-feira (27), pelo secretário municipal de Saúde (SMS), Luciano Paz, durante reunião sobre o calendário 2015 de negociações entre os sindicatos da Saúde e a SMS, no Centro Administrativo de Aracaju.

“A criação de um calendário de negociação é importante porque poderemos analisar como estará a evolução de cada ponto debatido, facilitando assim, até mesmo uma prestação de contas aos nossos trabalhadores. Os sindicatos estão unidos e organizados para facilitar ao máximo o trabalho dos gestores”, declara Augusto Couto, presidente do Sindicatos dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa).

Um dos pontos importantes discutidos durante a reunião é que o calendário será montado para atender a pauta conjunta e específica. A primeira foi tratada anteriormente entre nove sindicatos e entregue ao secretário nesta terça-feira (27). Sobre a pauta específica, os sindicatos têm até a próxima sexta-feira (30) para fazer a entrega. Dentro do calendário, o mês de janeiro seria justamente para o secretário receber as reinvindicações, depois em fevereiro ele faria a análise, e a partir de março, haveria as discussões das pautas.

Esta mesa permanente terá reunião bimestral, sendo que a primeira será no dia 26 de fevereiro, e um dia antes a bancada sindical se reunirá entre si. Participaram da reunião pelo Sintasa, além do presidente Augusto Couto, os diretores João Wadson e Maria Edite.

Bancada dos trabalhadores

Além do Seese e do Sintasa, a bancada conta com mais outras 9 categorias: Sindicato dos Psicólogos de Sergipe (Sinpsi-SE), Sindicato dos Trabalhadores Fisioterapeutas de Aracaju (Sintrafa), Sindicato dos Assistentes Sociais de Sergipe (Sindasse), Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e de Combate às Endemias de Aracaju (Sacema), Sindicato dos Cirurgiões Dentistas de Sergipe (Sinodonto-SE), Sindicato dos Farmacêuticos de Sergipe (Sindifarma-SE), Sindicato de Nutricionistas e Técnicos em Nutrição do Estado de Sergipe (Sindinutrise), Sindicato dos Médico de Sergipe (Sindmed-SE) e dos Sindicato dos Técnicos e Auxiliares de Laboratórios de Sergipe ( Sintelab-SE).





Compartilhe:
Com.: 0
segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Bancada dos sindicatos da Saúde recebe apoio do CES


Foi aprovada por unanimidade pelo Conselho Estadual de Saúde (CES), através do Controle Social, a Recomendação em apoio a proposta da Bancada dos sindicatos da Saúde que tem como um dos pontos principais a extensão por um ano do contrato da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) junto ao Governo do Estado, que garantiria temporariamente o atendimento à população e o emprego dos servidores, mesmo depois do dia 31 de janeiro, data do fim do contrato. A decisão do CES foi tomada durante reunião na manhã desta quinta-feira (22), na sede da Fundação Nacional da Saúde (Funasa), que contou com o auditório lotado de trabalhadores, representantes de sindicatos e usuários. Não houve nenhum representante da gestão estadual.

A Recomendação da CES, que será encaminhada para Assembleia Legislativa para que os deputados tenham ciência, é importante porque mostra que a população está do lado dos servidores, uma vez que a CES conta com 50% de representantes dos usuários, 25% dos sindicatos e outros 25% da gestão. “Essa luta não é apenas dos trabalhadores, agora temos mais um aliado importante que é o Conselho Estadual de Saúde. Até porque se o contrato com a Fundação acabar, não haverá atendimento, e os usuários serão afetados diretamente”, disse o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde (Sintasa), Augusto Couto.


Grupo de Trabalho

Outro ponto da proposta é que a extensão do tempo por um ano serviria para que seja criado um Grupo de Trabalho que contaria com representantes dos trabalhadores, gestão, Conselho Estadual de Saúde e Ministério Público Federal, a fim de procurar meios para que os trabalhadores não sejam prejudicados.

Agora, a bancada aguarda ter uma resposta do procurador regional dos Direitos do Cidadão, Ramiro Rockenbach, sobre uma possível reunião na próxima semana com o juiz federal, Edmílson Pimenta.

Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Sintasa participa de audiência no Ministério Público Federal

Antes da assembleia da categoriano HUSE, o Sintasa e outros sindicatos da Saúde estiveram na audiência no Ministério Público Federal com o procurador regional dos Direitos do Cidadão, Ramiro Rockenbach. Na ocasião, houve um consenso que é preciso um espaço de tempo para a transição, visto que não daria para fazer o encerramento do contrato da FHS num dia e no outro ficar faltando trabalhadores para o serviço.

Caberão aos sindicatos buscarem as possibilidades jurídicas para a incorporação deste pessoal na administração direta e o Ministério Público Federal avaliaria a viabilização ou não da proposta dos sindicatos.

O presidente do Sintasa, Augusto Couto, destacou que a audiência serviu para tranquilizar os trabalhadores que necessariamente não deixarão de trabalhar no dia 31 de janeiro. “O contrato não deverá ser renovado, mas terá esse tempo de transição para todos juntos construir uma alternativa. Agora, esperamos que o Governo do Estado tenha a sensibilidade de garantir a vinculação destes servidores dentro do Estado”, observou o líder sindical, lembrando que o Governo não faz concurso público há muito tempo e muitos servidores estatutários se aposentarão, deixando um espaço para ser preenchido por estes servidores.



Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Servidores da Saúde se mobilizarão durante atividades dos sindicatos


Os sindicatos da Saúde deram uma demonstração de força e união na assembleia geral com os servidores da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), nesta terça-feira (20), no auditório do Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE). Com o espaço lotado, a categoria decidiu se mobilizar para pressionar o Governo do Estado a incorporar os servidores celetistas quando a FHS for extinta e durante a fase de transição. Com isso, haverá duas atividades das quais os trabalhadores marcarão presença, que é a reunião do Conselho Estadual de Saúde (CES), nesta quinta-feira (22), às 9 horas, na Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e a audiência com o juiz federal, Edmílson Pimenta, que o Ministério Público Federal (MPF) está intermediando para ocorrer na próxima semana, em data a ser confirmada.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa), Augusto Couto, que lidera o sindicato com o maior número de servidores afetados, avalia a situação com otimismo. “Hoje, demos um passo importante de fortalecimento. Parabenizo todos os sindicatos envolvidos porque a união do grupo em defesa da não demissão dos servidores ajudará para que possamos alcançar o nosso objetivo”, afirma.

Além do Sintasa, a assembleia contou com representantes do Sindicato dos Enfermeiros de Sergipe (Seese), Sindicato dos Psicólogos de Sergipe (Sinpsi), Sindicato dos Trabalhadores Fisioterapeutas de Aracaju (Sintrafa), Sindicato dos Assistentes Sociais de Sergipe (Sindasse), Sindicato dos Condutores de Ambulância de Sergipe (Sindconam-SE), Sindicato dos Cirurgiões Dentistas de Sergipe (Sinodonto-SE), Sindicato dos Farmacêuticos de Sergipe (Sindifarma-SE), Sindicato de Nutricionistas e Técnicos em Nutrição do Estado de Sergipe (Sindinutrise), da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).



Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Sintasa é mencionado em matéria na Infonet



Compartilhe:
Com.: 0
quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Salário de dezembro dos funcionários do Hospital de Cirurgia está atrasado

A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) recebeu denúncias de funcionários do Hospital das Clínicas Dr. Augusto Leite, mais conhecido como Hospital de Cirurgia, afirmando que estão com o salário de dezembro de 2014 atrasado e temem ficar sem receber também neste mês de janeiro. A situação é grave ainda pelo fato de que nesta quinta-feira (15) o hospital fechou as suas portas para novos atendimentos.

Na avaliação do presidente do Sintasa, Augusto Couto, o sindicato está tentando uma reunião em caráter de urgência com a direção do hospital. “Os trabalhadores estão preocupados. Eles têm contas a pagar e vivem nesta incerteza de quando receberão o pagamento. Vamos tentar um contato com o hospital nesta sexta-feira”, disse Augusto Couto, afirmando que o pagamento dos funcionários deve ser prioridade para a gestão.

A alegação da direção do hospital pela crise financeira é falta de repasse da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) desde setembro de 2014 que já chega a R$ 12 milhões. Por outro lado, a prefeitura garante que o repasse foi bloqueado por decisão da Justiça uma vez que existe uma discordância entre a gestão municipal e do hospital da verba correta a ser repassada.

Compartilhe:
Com.: 0
quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Sindicatos da Saúde farão indicativo de paralisação em assembleia


O Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) e outros sindicatos da Saúde decidiram realizar uma assembleia com todos os servidores da área, na próxima terça-feira (20), às 16h30min, no Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE). A decisão foi tomada durante a reunião entre representantes de sindicatos, nesta quarta-feira (14) pela manhã, na sede do Sindicato dos Enfermeiros do Estado de Sergipe (Seese). A ideia é orientar os servidores em relação à possibilidade do encerramento do contrato das fundações e da demissão coletiva e propor o indicativo de paralisação, caso o Governo do Estado e a Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) não apresentem esclarecimentos e soluções acerca do problema.

Na ocasião, ficou decido ainda que será encaminhado um ofício para o Ministério Público Federal, Secretaria de Estado da Saúde (SES) e FHS a fim de que haja audiência pública para que seja esclarecido o futuro das fundações e, se caso forem extintas ou não ocorra a renovação do contrato com a FHS, o que acontecerá com os mais de sete mil servidores celetistas e estatutários.

O diretor do Sintasa, João Wadson, chama atenção ao fato de um possível caos no atendimento aos usuários. “A população ficará desassistida, uma vez que os municípios não vêm cumprindo com a assistência de prevenção à saúde da população, acarretando muitas vezes uma superlotação no HUSE e na Maternidade Nossa Senhora de Lourdes”, pontua o diretor.

Além do Sintasa, a reunião contou com representantes do Seese, da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Sindicato dos Psicólogos de Sergipe (Sinpsi), Sindicato dos Trabalhadores Fisioterapeutas de Aracaju (Sintrafa) e Sindicato dos Assistentes Sociais de Sergipe (Sindasse). 

Compartilhe:
Com.: 0
sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

NOTA DE FALECIMENTO


Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Sintasa denuncia a FHS


Compartilhe:
Com.: 0
quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Sintasa denuncia a FHS por falta de pagamento das horas extras

A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) recebeu denúncias de servidores da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS) por não receberam no mês de dezembro o pagamento das horas extras e do adicional noturno. “A fundação falou para eles que não irá pagar. Isso é um absurdo! Porque quando a fundação precisa do trabalhador ele se prontifica para trabalhar além do seu horário, mas não hora de compensar com os adicionais esquece do trabalhador”, explica o presidente do Sintasa, Augusto Couto, repudiando totalmente essa posição da FHS, aguardando uma resposta da instituição.
 

Compartilhe:
Com.: 0
1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última