Pesquisa

Comunicado para os Estatutários do HUSE

20/08 23:23
 
Compartilhe:
Com.: 0

PCCV: Sintasa agenda visita no HUSE para sanar dúvidas

19/08 23:16

A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores da Área da Saúde de Sergipe (Sintasa) juntamente com o departamento jurídico irá fazer visitas no dia 29 de agosto no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) para tirar dúvidas dos servidores sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV). As visitas ocorrerão em três horários: às 9h, 15h e 21 horas.
 

Compartilhe:
Com.: 0

Servidores da Saúde da capital farão paralisação de 24 horas

15/08 15:59
Em votação direta, os trabalhadores foram unânimes em aprovar a paralisação (Foto: Ascom/Sintasa)

Os servidores da Saúde do município de Aracaju decidiram durante a Assembleia Geral promovida, nesta sexta-feira (15) à tarde, pelo Sindicato dos Trabalhadores da Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) por fazer uma mobilização de duas horas e uma paralisação de 24 horas, na próxima sexta-feira, dia 22 de agosto deste ano, na frente da Prefeitura de Aracaju.

Desde o dia 21 de julho deste ano que o Sintasa espera uma resposta de um ofício entregue na prefeitura e na Secretaria Municipal de Saúde (SMS) solicitando uma audiência para apresentar uma pauta de reivindicações da categoria. “Os servidores entenderam que o sindicato tentou através de todos os meios um encontro com a prefeitura, mas que não obteve êxito, então, todos nesta assembleia foram unânimes em concordar na realização da paralisação”, explicou o diretor do Sintasa, João Wadson.

As reclamações giram em torno de que não houve o pagamento do reajuste salarial de 6,5% como ficou acertado pela Prefeitura de Aracaju, conforme comprovado através dos contracheques apresentados; e a reavaliação do grau de insalubridade, que hoje é de 20%, precisa ser feita, uma vez que a lei reza que aconteça a cada dois anos.

O servidor Carlos Téo, locado na unidade de Saúde do Augusto Franco, alerta para que haja uma variação de recebimento da insalubridade dos que trabalham de forma mais direta com produtos e locais insalubres em relação aos servidores do setor administrativo. “Recebemos 20% em cima do salário mínimo, mas já está provado que não deveria ser, além disso, o problema é que não está tendo nenhuma diferenciação, já que este valor a mais seria para pagamento de um possível tratamento”, explica Carlos.

Outras reivindicações são sobre o pagamento do Programa de Melhoria do Acesso e Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) foi desproporcional ao que foi trabalhado; e que alguns servidores não receberam a incorporação das gratificações no salário base, como o de progressão por méritos, complemento do Programa de Saúde da Família (PSF) e gratificação de titulação.





Compartilhe:
Com.: 0

Sintasa consegue negociar muitos benefícios para os servidores de São Cristóvão

14/08 09:56

A diretoria do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde de Sergipe (Sintasa) visitou o secretário de Saúde de São Cristóvão, Fernando Rodrigues, para cobrar as reivindicações da categoria no município conforme ofício entregue em maio pelo sindicato apresentando uma pauta de pontos para serem discutidos com a gestão. A resposta do secretário foi positiva e detalhou o que já está sendo feito e o que fará.

Sobre a liberação da licença prêmio, o secretário Fernando disse que será criado um cronograma para isso, uma vez que alegou ter havido uma redução no número de funcionários públicos. Haverá ainda a regularização do Vale-Transporte, faltando apenas a Secretaria de Administração fazer um balanço e também haver um contrato para que os servidores recebam.

Outro ponto importante é que em até 30 dias será concluído um levantamento para a oferta de auxílio-alimentação aos servidores, assim como um decreto municipal para a regulamentação do mesmo.

A pasta da Saúde já garantiu que em relação à água potável já estão sendo instalados bebedouros das unidades de Saúde e dentro de 15 dias todas serão contempladas, inclusive, foi feito um contrato com uma empresa do setor, justamente para cuidar disso, assim como resolver a questão dos banheiros com os encanamentos entupidos nas unidades.
 
Outros benefícios
Houve a aquisição de duas ambulâncias para atender não apenas a cidade como os municípios de São Cristóvão. Está sendo feito um levantamento em relação ao pagamento da insalubridade, uma vez que 20 servidores não estavam recebendo e passarão a receber. Entre 20 e 30 dias o laudo para saber o grau de insalubridade de cada um estará concluído.

No tocante a falta de medicamentos, o secretário garantiu que houve recentemente a compra de lotes de medicamentos para poder suprir essa carência, inclusive, a diretoria do Sintasa conferiu no local a existência dos medicamentos que já estão prontoa para serem distribuídos.

A boa notícia para os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e Agentes de Controle de Endemias (ACE) é que já foram licitados e já chegaram os equipamentos de proteção individual (EPIs) e já estão sendo distribuídos. E ainda até o dia 18 deste mês, haverá uma posição sobre o pagamento do piso dos ACS e ACE no valor de R$ 1.014,00.

Futuro

Em contrapartida, alguns pontos não poderão ser resolvidos este ano, segundo a gestão, mas com previsão para 2015. As questões são: criação de um edital para a abertura de um Concurso Público, criação do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV); Reajuste Salarial 2013-2015 e 14º salário para os ACS e ACE.

Compartilhe:
Com.: 0

Boletim do Sintasa do mês de agosto

12/08 16:11

Confira o boletim completo através deste link:
http://vai.la/7B6Y


Compartilhe:
Com.: 0


Feliz Dia dos Pais!

10/08 15:36



Compartilhe:
Com.: 0

Sintasa protocola o terceiro ofício solicitando uma reunião na SMS de Aracaju

07/08 10:24

Menos de 24 horas de Luciano Paz ter assumido a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Aracaju, o Sindicato dos Trabalhadores da Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) protocolou um ofício na SMS solicitando uma reunião com urgência para apresentar a demanda da categoria. Este já o terceiro oficio recebido pela secretaria que até o momento não marcou nenhuma reunião.

“Nós damos as boas-vindas ao novo secretário, Luciano Paz, mas espero que não ocorra no mesmo erro de não atender a nossa solicitação uma vez que os trabalhadores da Saúde do município precisam de uma resposta em relação as questões levantadas na nossa última assembleia em julho”, disse o presidente do Sintasa, Augusto Couto.

O primeiro ofício foi enviado no dia 21 de julho, o segundo no dia 29 de julho. E no próximo dia 15 de agosto, haverá uma assembleia com categoria, às 13h30min, na sede do Sintasa, no intuito de levar um posicionamento sobre as reivindicações como a falta de reajuste nos contracheques e da incorporação das gratificações no salário base.




Compartilhe:
Com.: 0

MPT condena o Estado e a FHS em R$ 15 milhões em ação assistida pelo Sintasa

04/08 18:10

Cerca de mil ex-trabalhadores da Transur serão beneficiados no processo judicial


Em ação ajuizada pelo Ministério Publico do Trabalho em Sergipe (MPT-SE), com assistência do Sintasa (Sindicato dos Trabalhadores na Área da Saúde no Estado de Sergipe), a Justiça do Trabalho responsabilizou o Estado de Sergipe e a Fundação Hospitalar de Saúde pelo pagamento das verbas dos trabalhadores da Transur, no valor aproximado de R$ 4,3 milhões, e ainda a pagar indenização por dano moral coletivo no valor de dez milhões de reais.

A decisão, proferida pelo juiz do Trabalho Luiz Manoel Andrade Meneses, titular da 3ª Vara do Trabalho de Aracaju, reconhece a culpa do Estado e da FHS pela má fiscalização do contrato de prestação de serviço e a má utilização dos termos de compromisso de antecipação de recebíveis, ao invés de pagar a fatura do contrato, o que ocasionou a inadimplência da Transur perante os cerca de mil trabalhadores.

“Não poderíamos de ver o sofrimento destes trabalhadores e não tomar uma atitude, ainda mais diante desta empresa que não teve o compromisso de honrar com os direitos dos trabalhadores. Por isso, ajudamos o Ministério Público do Trabalho em prol dos ex-funcionários da Transur. E conseguimos, através do nosso departamento jurídico, ganhar essa causa”, disse o presidente do Sintasa, Augusto Couto, comemorando o começo na nova gestão de quatro anos com essa vitória de beneficiará cerca de mil trabalhadores.

Divisor de águas
Para o procurador do Trabalho Emerson Albuquerque Resende, responsável pela condução da ação, a decisão proferida pela Justiça do Trabalho, além de garantir o que é devido aos trabalhadores, resgata a autoestima de mais de mil empregados e familiares, abalada por conta da situação de desespero. “Quem acompanhou o caso de perto, sabe o quanto foi grande o drama dessas pessoas”, ressalta o procurador.

Ainda segundo o membro do MPT, a decisão é um divisor de águas diante do valor da indenização por dano moral coletivo. “A partir de agora os administradores de órgãos públicos e os responsáveis pela fiscalização dos contratos de terceirização deverão se conscientizar mais sobre o papel de cada um no sentido de evitar danos aos trabalhadores, sob pena de haver uma condenação semelhante pela Justiça do Trabalho”, explica Emerson Resende.

Nesta atuação, o MPT contribuiu para a redução do número de reclamações trabalhistas ao tratar o conflito de forma coletiva, solucionando, num só processo, situações de cerca de mil trabalhadores.

Entenda o caso
A empresa TRANSUR prestou serviços para a Fundação Hospitalar de Saúde e para o Estado de Sergipe e em 2011 e 2012 ocorreu uma série de atrasos no pagamento dos salários, vales transportes e auxílios-alimentação em razão de falta de recursos na empresa, causando transtornos na vida dos trabalhadores. No final de 2012, a empresa encerrou as atividades deixando os trabalhadores sem receberem as suas verbas rescisórias.
O Ministério Público do Trabalho ajuizou ação civil pública defendendo a culpa da Fundação Hospitalar de Saúde e do Estado de Sergipe, tomadoras dos serviços da Transur, pleiteando os direitos trabalhistas dos empregados e a punição dos responsáveis em indenização por dano moral coletivo.

*Com informações do MPT

Compartilhe:
Com.: 1

Obraserv não comparece ao TRT e audiência com o Sintasa é remarcada

04/08 14:39

O departamento jurídico do Sindicato dos Trabalhadores da Área da Saúde do Estado de Sergipe (Sintasa) e o presidente, Augusto Couto, estiveram presentes na audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), nesta segunda-feira (4), na ação movida contra a Obraserv, empresa terceirizada da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), que faltou a audiência. Com isso, ficou agendada outra audiência para o dia 8 de setembro, às 8h30min.

As pendências cobradas no processo para com os trabalhadores são FGTS, Rescisão de 35 trabalhadores, multa do art. 477 (CLT), aviso prévio, dentre outros. Um acordo junto ao Ministério Público (TAC) já havia sido efetuado e muitas verbas foram quitadas de aproximadamente 150 trabalhadores.


Compartilhe:
Com.: 0

Presidente da FHS mostra descaso com os trabalhadores da fundação

01/08 09:09

Depois de quase 75 dias de o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde de Sergipe (Sintasa) ter protocolado dois documentos eletrônicos (e-DOC) na Fundação Hospitalar de Saúde solicitando o cumprimento de dois itens da proposta do Movimento Grevista, até esta sexta-feira (1º de agosto) não houve cumprimento por parte do presidente da FHS, Luis Hamilton Santana de Oliveira. Não houve a resposta ainda do terceiro e-DOC protocolado há 45 dias na mesma fundação. Diante disso, o Sintasa protocolou um ofício, na última quarta-feira (30), cobrando as três questões anteriores.

Os dois primeiros protocolos requerem o cumprimento do comprometimento de apresentar ao sindicato os estudos de viabilidade e impacto para a implementação da Escala de Trabalho Verticalizada; e a incorporação determinada pela implantação do Plano de Emprego e Remuneração (PER), referente à 25% da gratificação da variável.

Reivindicações
Por sua vez, o terceiro documento diz respeito ao pedido de uma reunião urgente para apresentar as pautas reivindicadas pelos trabalhadores do Serviço de Remoção Inter-Hospitalar Assistida (SRIHA), como reajuste salarial, auxílio alimentação, diárias de viagem, periculosidade ou aumento de insalubridade para 40%, funcionário para fazer limpeza, diária nos finais de semana e feriado, materiais para higiene pessoal, redução da carga horária para 30 horas, remuneração de 100% aos domingos e ponto facultativo, vincular os SRIHA ao SAMU e revisão do contrato de locação.

Compartilhe:
Com.: 0


1 2 3 4 5 6 » Próxima » Última
Vídeos
Mais Vídeos

Arquivos

Galeria Fotos
Veja todas fotos